Clicca qui per scaricare

La terziarizzazione nel servizio pubblico in Brasile: il caso dei lavoratori terziarizzati nelle Università Federali*
Titolo Rivista: SOCIOLOGIA DEL LAVORO  
Autori/Curatori: Graça Druck, Jeovana Sena, Marina Pinto, Sâmia Araújo 
Anno di pubblicazione:  2018 Fascicolo: 151 Lingua: Italiano 
Numero pagine:  19 P. 63-81 Dimensione file:  141 KB
DOI:  10.3280/SL2018-151004
Il DOI è il codice a barre della proprietà intellettuale: per saperne di più:  clicca qui   qui 


L’articolo analizza il fenomeno dell’outsourcing nel servizio pubblico in Brasile, attraverso un caso studio che coinvolge i lavoratori di alcune attività terziarizzate presso l’Università Federale di Bahia. L’articolo descrive, in questo modo, come nel contesto della globalizzazione, lo stato neoliberista abbia trasformato l’occupazione del settore pubblico. Partendo dall’origine e dalla regolamentazione normativa dell’outsourcing in Brasile, le autrici presentano i risultati di una ricerca svolta nel 2015 presso l’Università Federale di Bahia, che ha coinvolto i lavoratori delle attività di pulizia, portineria e sorveglianza. Le fonti utilizzate sono state le relazioni di gestione dell’Università, le interviste qualitative e un questionario rivolto ad un campione di lavoratori. I dati raccolti hanno permesso di tracciare un profilo dei lavoratori interessati e di individuare alcuni indicatori delle condizioni di lavoro nel contesto di un intervento sindacale debole dal punto di vista dell’organizzazione dei lavoratori e della tutela dei diritti.


Keywords: Terziarizzazione, lavoratori terziarizzati, servizio pubblico

  1. Amorim H. (2009). Terceirização no serviço público: uma análise à luz da nova hermenêutica constitucional. São Paulo: LTr.
  2. Amorim H. e Delgado G. (2014). Os Limites Constitucionais da Terceirização. São Paulo: LTr.
  3. Brasil (1995). Ministério da Administração Federal e da Reforma do Estado. Brasília: Presidência da República.
  4. Costa S.G. (2007). O pai que não é o patrão: vivências de sujeitos terceirizados no Ministério Público do Estado do Rio Grande do Sul. Revista Organizações & Sociedades, 42 (14): 97-113.
  5. Coutinho G.F. (2015). Terceirização - máquina de moer gente trabalhadora – a inexorável relação entre a nova merchandage e a degradação ambiental, as mortes e mutilações no trabalho. São Paulo: LTR. Cunha Y.R. (2015). Terceirização e terceirizados: um estudo sobre os impactos objetivos e subjetivos da terceirização sobre trabalhadores terceirizados que atuam no setor de limpeza em escolas estaduais no município de Marília-SP. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Filosofia e Ciências de Marília, Universidade Estadual Paulista, Marília.
  6. Dardot P., Laval C. (2016). A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Boitempo.
  7. DIEESE (Departamento intersindical de estatística e estudos socioeconômicos) (2016). Pesquisa de Emprego e Desemprego, Inserção da população negra nos mercados de trabalho metropolitanos. São Paulo: DIEESE.
  8. Druck M.G. (2016). A terceirização na saúde pública: formas diversas de precarização do trabalho. Trabalho, Educação e Saúde, 14 (1): 15-43.
  9. Druck M.G. (1999). Terceirização (des)fordizando a fábrica. São Paulo: Boitempo.
  10. Druck M.G., Franco T., a cura di (2007). A perda da razão social do trabalho: terceirização e precarização. São Paulo: Boitempo.
  11. Filgeiras V. (2014). Terceirização e trabalho análogo ao escravo: coincidência?, disponibile all’indirizzo em http://indicadoresderegulacaodoemprego.blogspot.com.br/. Acesso em 24 junho de 2014.
  12. Jacobsen A.L., Cordero E.R. (2015). A terceirização da segurança nas instituições federais de ensino superior: um estudo na UFSC. In: CIGU – Colóquio Internacional de Gestão Universitária, 15, 2015, Mar del Plata – Argentina, 2015. Anais. Mar del Plata.
  13. Kowarick L. (1994). Trabalho e vadiagem: a origem do trabalho livre no Brasil. Rio de Janeiro: Paz e Terra.
  14. Marcelino P. (2004). A Logística da Precarização: terceirização do trabalho na Honda do Brasil. São Paulo: Expressão Popular.
  15. Sanches A.T. (2009). Terceirização e ação sindical no setor financeiro. In: Encontro Nacional da ABET, 11. Anais, Campinas: ABET, 2009.
  16. Silva R.M. (2014). Liberalismo e a terceirização no setor público brasileiro: um estudo acerca da terceirização na Universidade Federal de Uberlândia.
  17. Seminário Nacional de Teoria Marxista – Uberlândia, 12 a 15 de maio de 2014.
  18. Viotti da Costa E. (1977). Da Monarquia à República: momentos decisivos. São Paulo: Grijalbo.

Graça Druck, Jeovana Sena, Marina Pinto, Sâmia Araújo, in "SOCIOLOGIA DEL LAVORO " 151/2018, pp. 63-81, DOI:10.3280/SL2018-151004

   

FrancoAngeli è membro della Publishers International Linking Association associazione indipendente e no profit per facilitare l'accesso degli studiosi ai contenuti digitali nelle pubblicazioni professionali e scientifiche